As crianças sem pai


Abortando a missão: as crianças sem pai
Toda criança que nasce deveria saber quem são seus responsáveis, ou seja, sua mãe e seu pai, porém existem milhões de casos de pessoas que não possuem a menor ideia de quem é o pai, pois ele abandonou sua mãe.

Quando um feto é formado de maneira biológica, ou seja, quando um homem e uma mulher tem relações sexuais e por meio dessas relações geram um feto no útero da mulher, os responsáveis dessa futura criança são o homem e a mulher envolvidos nessa relação, os futuros pai e mãe. Porém algumas (muitas) vezes quando o homem é informado que será pai, ele decide que não assumirá esse compromisso e desaparece, deixando a mulher carregando o feto e muitas vezes sem condições de criar. Veja bem, não estamos falando de casais que se separam, isso é comum e sem nenhum problema, mas sim, de homens que abandonam a mulher que engravidaram porque não querem ter filhos. E o que acontece? Nada. Desaparecendo sem nenhuma pista, o homem não é obrigado pela justiça a cumprir suas obrigações como pai, muitas vezes, até sabendo onde este homem está, a justiça não impõe a ele nenhum dever a ser cumprido como pai.

No Brasil, segundo estudos do governo federal, existem cerca de 5,5 milhões de crianças que possuem em seu registro o nome do pai como desconhecido. 5,5 milhões de crianças que sabem apenas quem são suas mães. E essas mulheres que decidiram parir mesmo sendo abandonadas são de todas as classes sociais, desde as mais ricas, até e principalmente, as mais pobres que acabam por criar seus filhos do melhor jeito que podem, mesmo que muitas vezes, esse melhor jeito seja extremamente difícil financeiramente e emocionalmente falando. Algumas são mães solteiras de mais de três crianças. Algumas tem a ajuda da família, amigos e vizinhos. Algumas tem ajuda do governo. Mas elas não tem a ajuda da pessoa que deveria possuir a mesma responsabilidade que elas, o pai desses filhos.

Ser mãe solteira, no Brasil e em outros países virou algo normal, esquecemos da outra pessoa que participou da fecundação, colocamos nas mãos dessas mulheres abandonadas toda a responsabilidade que é criar alguém, fornecer todas as coisas básicas que ele precisa, e até as que não são básicas e a nossa sociedade exige.

  Autor: Ana Clara
Muitas vezes a própria justiça favorece a ausencia do pai. Isso representa uma completa distorção da ética, da moral e dos bons costumes
fonte:
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s