Desembargadores se acham os donos do mundo


Desembargador joga entulho em terreno e dá voz de prisão a policial

Reprodução / vídeo / Paraná Portal

O desembargador Luís César de Paula Espíndola, do Tribunal de Justiça do Paraná (TJ), tirou licença do cargo nessa quarta-feira (18), três dias depois de uma confusão entre ele e moradores da Vila Domitila, que fica entre os bairros Cabral e Ahú, em Curitiba. A assessoria de gabinete informou que a licença por “motivo de saúde na família” é válida por 20 dias.

Ana Paula fez exame de corpo de delito no IML.

O magistrado é acusado por moradores da região de ter agredido a dona de casa Ana Paula Bergmann, de 43 anos, e depois ter dado voz de prisão a um policial civil licenciado que viu a suposta agressão. Os moradores reclamavam que o desembargador estava despejando lixo nos terrenos.

Acompanhado de um caminhão, o magistrado tentou despejar o entulho de galhos, folhas e todos de árvores em frente à casa de um policial civil. O policial Antônio Carlos Poleira pediu para que filmasse a ação para comprovar o crime ambiental. O desembargador teria agredido a dona de casa.

A confusão piorou quando o policial deu voz de prisão ao desembargador depois da agressão. Ana Paula afirma que o desembargador ignorou a revolta dos moradores.

A moradora gravou diversos vídeos da discussão. Em um deles, o desembargador aparece dizendo que entrou em contato com a prefeitura. Ele afirma que foi agredido pela mulher. O policial pegou a chave do carro dele para impedir que ele saísse.

Em nota, a prefeitura informou que o desembargador tem cadastro na Central 156, mas não consta nenhuma chamada recente com os três números de telefone que estão no cadastro.

A prefeitura afirma que “a orientação para quem precisa fazer o descarte de mais de três carrinhos de resíduos vegetais é que procure uma empresa credenciada pela Prefeitura de Curitiba para a correta destinação dos resíduos, sendo que o custo é pago pelo responsável pelo entulho. Outra opção é procurar uma das estações de sustentabilidade tipo 2, que recebem resíduos vegetais.

A área da Vila Domitila, de 191 mil metros quadrados, que fica entre os bairros Ahú e Cabral é ocupada há 40 anos por 250 famílias. A área é reivindicada pelo INSS. No mês passado, cinco famílias foram despejadas. Desde os anos 70, o INSS reivindica a propriedade dos terrenos localizados nas imediações do presídio do Ahú.

Por telefone, a assessoria de gabinete do desembargador não quis passar contato para entrevista e apenas informou que ele estava em licença por 20 dias, por motivo de saúde na família.

fonte: http://bandnewsfmcuritiba.com/desembargador-joga-entulho-em-terreno-e-da-voz-de-prisao-a-policial/

 Eles se acham os donos do mundo, os donos da lei, mas se esquecem da ética!
Veja as gravações no artigo original!

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s